Bittar e General Augusto Heleno conversaram sobre a situação da região Amazônica.

Nenhum comentário


Em razão da atual perda de soberania do país na região amazônica, o senador Marcio Bittar encontrou-se na manhã desta quarta feira (dia 29 de maio) com o chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, General Augusto Heleno. 

O encontro foi pautado nas questões que tangem a região amazônica e na busca de soluções para problemas já diagnosticados, tanto pelo general quanto pelo senador. 
O general destacou o problema com as fronteiras do país, onde ocorre o tráfico de drogas, animais e armas. Também citou o exemplo de reservas indígenas criadas sob argumentos que não condizem com a real necessidade das comunidades em questão. 

"Muitas das demarcações de Terras Indígenas no Brasil foram fundamentadas em laudos fraudulentos", ressaltou o General Augusto Heleno. 

O senador complementou com questionamentos sobre as reais intenções das ONGs internacionais em ter acesso às regiões amazônicas e suas riquezas.

"Não é possível que outras nações queiram impor regras às nossas terras. A nossa prioridade deve ser buscar o progresso para a população da região Norte, essa é uma missão do Brasil, não de outros países que não deixam claras suas reais intenções", disse o senador Marcio Bittar.

O senador e o general concordaram que é preciso rever as políticas públicas que norteiam a região amazônica para que os interesses nacionais sejam prioritários. 

O General Augusto Heleno foi comandante militar da Amazônia e contestou a política indigenista do governo Lula, que qualificou de "lamentável para não dizer caótica", à época da demarcação da terra indígena Raposa Serra do Sol. 

O senador Marcio Bittar colocou-se à disposição para ajudar no que for necessário para que agendas que respeitem a soberania nacional sejam ativamente propostas no Congresso Nacional.

Márcio Miranda/assessor


Nenhum comentário

Postar um comentário