Índios sem atendimento médico e servidores sem salário

Nenhum comentário

Deputada Perpétua Almeida (PCdoB/AC) solicita ao Ministério da Saúde que repasse os recursos para o atendimento da população indígena no Acre e defende a manutenção da Secretaria de Saúde dos índios


O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, declarou que pretende extinguir a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), repassar para os municípios a responsabilidade pela assistência à saúde dos índios e incorporar os serviços destinados às aldeias a uma nova Secretaria Nacional de Atenção Primária.

“A saúde indígena está abandonada. Solicitei ao Ministério da Saúde que repasse os recursos e assuma os cuidados com as comunidades das aldeias. Temos índios doentes sem atendimento, sem medicação e servidores da secretaria trabalhando sem receber. É um absurdo. O Governo Federal precisa dar atenção para essas comunidades. A Secretaria Especial de Saúde Indígena não pode ser extinta. Precisamos fortalecê-la”, declarou a deputada federal Perpétua Almeida.

A parlamentar leu na tribuna o relato dos trabalhadores da saúde indígena e alertou que o Ministério da Saúde deixou de repassar os recursos para as 34 unidades de atendimento do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) do Acre e que muitas aldeias já estão sem atendimento e vários servidores estão sem receber salário.

Perpétua também destacou que a proposta de municipalização da saúde indígena já foi testada anteriormente na região e não funcionou. Segundo Aurélio Tenhari, assessor do DSEI, “a partir do momento que municipalizar a saúde indígena ela vai trazer genocídio aos povos indígenas”, porque o município não terá condições para garantir os serviços. “Vai ter gente morrendo”, completou Aurélio.


Nenhum comentário

Postar um comentário