Acre: um Estado atolado em dívidas

Nenhum comentário


De pires na mão   

Nem bem terminou o carnaval, o governador Gladson Cameli correu até a Subscretaria do Tesouro Nacional, em Brasília, diante da informação de que o Governo Federal prestará garantia para as negociações das operações de crédito “Finisa”, que foram realizadas pelo governo passado com a Caixa Econômica Federal.
* As operações de crédito deixam o Acre em situação complemente desfavorável e motivos da dor de cabeça do novo governador.
Empréstimos
O Estado do Acre tem dois empréstimos junto à CEF, contraídos pelo governo petista. Sem a garantia da União, os juros são extremamente altos. Com a garantia, os juros caem substancialmente.
* Para se ter uma idéia, os valores de taxas de empréstimos, que variam hoje em torno de 170%, cairão para 120, resultando na economia de milhões que darão sustentação no programa de folhas de pagamento.  
Luz no fim do túnel          
A posição das CEF em proporcionar a renegociação dos empréstimos que chegam a R$ 155 milhões criará condições de desenvolvimento econômico para o Acre.
* De acordo com a Subsecretaria do Tesouro Nacional, o Governo Federal procurará agilizar os trâmites para a renegociação.
Mamata   

A lista de ex-deputados federais que vão receber aposentadoria especial da Câmara cresceu em fevereiro, quando terminou o mandato daqueles que não haviam sido eleitos. Atualmente, constam 499 beneficiários, sendo que um levantamento identificou 29 novos nomes em relação ao ano passado.

* O custo total dessas novas aposentadorias em fevereiro foi de R$ 658,2 mil.

Custo para o contribuinte

O pagamento das aposentadorias de todos os ex-deputados custou à Câmara R$ 7,18 milhões em fevereiro. O rendimento médio de cada um foi de R$ 14,4 mil. A média paga em todo o país aos trabalhadores comuns, aposentados pelo INSS é R$ 1.316,54, enquanto o teto é R$ 5.839,45.

* Para efeito de comparação, o valor gasto pela Câmara com todos os ex-parlamentares seria suficiente para pagar o benefício médio de mais de 4.700 aposentados pelo INSS.

Futuro de Haddad

A sala adaptada da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde está preso, há quase um ano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem sido palco de frequentes reuniões políticas que vão definir os rumos do PT nos próximos anos. Mesmo privado da liberdade, Lula consegue manter a influência sobre todos os passos dos petistas e nenhum movimento interno é iniciado sem que ele seja consultado.

* Nos últimos dois meses, o PT discutiu maneiras de retomar o protagonismo político de Fernando Haddad e mudanças na direção nacional do partido voltaram à agenda.

È dando que se recebe   
Sem conseguir até agora apoio suficiente para aprovar a reforma da Previdência, o Palácio do Planalto decidiu abrir o cofre. A estratégia do governo foi feita sob medida para agradar a deputados e senadores de primeiro mandato com repasses individuais que podem ficar perto de R$ 5 milhões.

* O valor ainda não está fechado, mas a Casa Civil negocia a concessão de uma espécie de bônus para os novatos, já que eles só terão direito às emendas parlamentares a partir de 2020.

Frase
“Aposentadoria excessivamente generosa” – De Jorge Boucinhas, professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas, sobre o modelo de previdência adotado no Congresso Nacional.     

Nenhum comentário

Postar um comentário