Lula jamais aceitaria se reunir com a família num quartel, diz advogado

Nenhum comentário


O advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Manoel Caetano Ferreira, justificou na tarde desta quarta-feira, 30, a decisão do petista de não aceitar uma reunião com familiares autorizada pela Justiça por conta da morte do seu irmão, Genival Inácio da Silva, o Vavá. O advogado disse ao Estadão Conteúdo  que a decisão ocorreu muito tarde e previa condições que o ex-presidente não estaria disposto a acatar.

Mais cedo, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Tofolli, acolheu parcialmente o pedido apresentado pela ontem pela defesa de Lula para participar do velório do irmão.

Embora Toffoli tenha autorizado o deslocamento do corpo de Vavá para uma unidade militar na região do ABC e uma reunião de Lula com seus familiares, a decisão ocorreu quando o sepultamento já estava sendo encerrado. Vavá foi sepultado às 13 horas desta quarta-feira, 30, em São Bernardo do Campo.

Nenhum comentário

Postar um comentário