Policiais militares são presos suspeitos de espancar e pregar homem em assoalho de casa no Acre

Nenhum comentário
Dois policiais militares foram presos pelo crime de tortura durante a Operação Calvário do Ministério Público do Acre (MP-AC) deflagrada nesta quinta-feira (1) em Rio Branco. Segundo informações do órgão, os policiais teriam pregado um homem no assoalho de uma casa para conseguir informações sobre paradeiro de objetos furtados de outro policial.
Ao G1, o comando da Polícia Militar lamentou o ocorrido e disse que está disposto a colaborar com todas as operações do Ministério Público e judiciário. A PM-AC ressaltou que os policiais vão para rua para defender a população e que esse é um caso isolado que “entristece” a corporação.
Um dos promotores que atuaram na operação, Teotônio Rodrigues, disse que a denúncia chegou ao MP por meio do Centro de Atendimento à Vítima (CAV) em maio deste ano. Ao tomar conhecimento do fato, o órgão instaurou um procedimento e iniciou as investigações.
“A partir das investigações, nós verificamos que essa pessoa tinha furtado a residência de um policial e esse policial, fora de serviço e junto com outros dois policiais, foram até o bairro Papoco. Lá, torturaram algumas pessoas até que localizaram a vítima. Esses policiais, todos sem fardas, entraram em uma residência e colocaram essa pessoa no assoalho da casa e pregaram ela no local. Antes disso, ela foi muito espancada”, afirmou o promotor.
MP-AC deflagrou Operação Calvário nesta quinta-feira (1) e prendeu dois policiais militares por crime de tortura — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre
Os militares, que não tiveram os nomes revelados, estão presos em um dos batalhões da Polícia Militar. Conforme a promotora Joana D'arc, os nomes das vítimas também não vão ser divulgados para garantir a integridade das pessoas. Segundo ela, o MP sabe do envolvimento de um terceiro policial no caso, mas esse ainda não foi identificado.
“Esses dois que foram presos são os que já se sabe a identidade ao certo, mas a gente sabe que tem um terceiro policial envolvido. Eles estão respondendo por crime gravíssimo, um crime de tortura e, caso essa acusação seja aceita pelo poder judiciário e posteriormente os acusados venham a ser condenados, certamente eles serão expulsos da corporação”, destacou a promotora.
Com apoio da Polícia Civil, nesta quinta (1), foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão na casa dos dois policias. Segundo o MP-AC, na casa de um deles, foi apreendida uma arma de fogo de origem ilícita e munições.
fonte  g1.globo.com


Nenhum comentário

Postar um comentário