Acertando o passo!

Nenhum comentário


A Orcrim – Organização Criminosa Petista – está à procura de argumentos que depreciem o juiz federal Sérgio Moro e o apontem como algoz do ex-presidente Lula da Silva, a quem o magistrado condenou no episódio do tríplex de São Bernardo-SP. Eles seguem mesmo o princípio leninista do “chame seus adversários daquilo que você é” e “acuse-os de praticar crimes que você comete”.

Os petistas afirmam que Lularápio só foi preso porque Moro “queria eleger Bolsonaro”. Isso não é piada, é coisa séria mesmo! Vejam como essa quadrilha é perigosa! Eles dizem que Moro não deve nem deveria tomar nenhuma ação contra Lularápio “esquecidos” de que Dias Toffoli saiu da Casa Civil, sob o comando de Zé Dirceu, para expedir, já como ministro do STF, habeas corpus que libertou aquele marginal.

Dias Toffoli, hoje ministro do STF, passou a vida inteira na militância petista, antes de ser indicado por Lula da Silva para a mais alta corte do país. Sem contar que registra a reprovação em dois concursos para juiz de primeira instância, um dos quais perdeu por não saber escrever sentença de despejo solicitada em exame.

A impressão que se tem é a de que Bolsonaro vai mesmo tentar arrumar a questão da segurança pública e dar um basta ou pelo menos frear o ímpeto da corrupção desenfreada. Colocar Sérgio Moro no Ministério da Justiça foi jogada genial de quem conhece muito bem os meandros da cena política e sabe como agir.

Os ministros do STF, que tratavam Sérgio Moro com desdém e se sentindo acima das nuvens (Gilmar Mendes já disse: “somos supremos”), começam a colocar as barbas de molho. Pode ser que se desenhe a montagem de um país. Se continuarmos assim, é possível que os integrantes do STF percebam que não devem se posicionar acima dos meros mortais.

Márcio Accioly

Nenhum comentário

Postar um comentário