Municípios administrados pela oposição superam Rio Branco no IDEB, dois deles em mais de 100%

Nenhum comentário

Edinei Muniz 

Em relação aos avanços obtidos acima da meta projetada pelo MEC para as séries iniciais do ensino fundamental, vários municípios do interior conseguiram superar Rio Branco no último IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

Para o ano de 2017, a meta  prevista para Rio Branco para as séries iniciais do ensino fundamental era 5.8. O município atingiu 6.5. Um crescimento de 0.7 décimos acima do valor projetado para 2017. 

Rodrigues Alves, município administrado pelo PMDB, tinha como meta 4.2. Mas foi muito além disso, chegando a 5.8 décimos. Um  crescimento de 1.6 décimos acima da meta, superando em mais de 100% o desempenho obtido pela rede municipal da capital. 

Sena Madureira, também  administrado pelo PMDB, tinha como meta 4.2. Obteve  5.9 décimos, avançando 1.7 decimos acima da própria meta, registrando um desempenho, de igual modo, mais de 100% superior ao obtido por Rio Branco no último IDEB. 

A meta para Feijó, município  administrado pela oposição através do PP, era 4.4. Atingiu 5.5 décimos, crescendo 1.1 décimos, o que representa um crescimento de 0.4 décimos acima do índice obtido pela capital. 

A meta para Manoel Urbano, administrado pelo PMDB, era 4.0. O Município chegou a 5.0, crescendo 1.0 décimos, fechando 0.3 décimos acima do desempenho obtido por Rio Branco em relação ao avanço sobre a própria meta. 

Senador Guiomard, administrado pelo PSD de Sérgio Petecão, tinha como meta 4.4. Obteve 5.8, crescimento de 1.2, cinco décimos acima de Rio Branco.

O desempenho dos municípios no IDEB, segundo esclarece o MEC, deve ser analisado tendo como ponto de referência o avanço obtido em relação à meta projetada, que é diferenciada para cada ente da Federação. 

Com base nos resultados obtidos, a conclusão é que a educação avança no interior com muito mais força levando em consideração o desempenho obtido pelo município de Rio Branco. 

Os dados são do INEP - Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais.


Nenhum comentário

Postar um comentário