França x Bélgica: Choque de talentos vale vaga na final

Nenhum comentário
França e Bélgica se enfrentam, às 15h desta terça-feira (10), em São Petersburgo, na primeira semifinal da Copa do Mundo da Rússia, uma partida entre duas visões de futebol: a capacidade atlética dos 'Bleus' contra o talento ofensivo dos 'Diabos Vermelhos'. Os belgas, comandados pelo técnico espanhol Roberto Martínez, estão nas semifinais de um Mundial pela segunda vez em sua história (a primeira aconteceu no México-1986, quando foram derrotadas pela Argentina).

O duelo é imperdível pelo nível dos talentos que vão se opor em campo. A jovem geração francesa que tem em Mbappé seu principal expoente. Talentoso e hábil, um atacante agressivo que joga em velocidade na direção do gol. Com espaço, ele poderá destruir uma defesa rapidamente, como fez com a Argentina, nas oitavas de final, quando sofreu um pênalti, convertido por Griezmann e ainda marcou dois gols.

Do outro, Eden Hazard, craque do clube inglês Chelsea. Dono de um exímio controle de bola. Seus marcadores sofrem para tentar tirar a pelota de seus pés. No jogo contra o Brasil, ele jogou pelo lado esquerdo do ataque e foi um tormento para o lateral Fagner.

"Uma semifinal da Copa do Mundo é um momento único na carreira de um jogador", admitiu Martínez em coletiva de imprensa, ontem, destacando que a França "se parece com a gente em muitos aspectos, sobretudo pelas grandes individualidades". Desta vez, após as decepções na Copa do Mundo de 2014 e na Eurocopa-2016, a 'geração dourada' belga parece ter chegado à maturidade e tem uma oportunidade histórica de lutar pelo título.

A Bélgica tem o melhor ataque da Copa (14 gols em cinco partidas) e nove jogadores já balançaram as redes até agora. É a única seleção que venceu os cinco jogos na competição e mantém uma invencibilidade de 24 partidas (19 vitórias e 5 empates), um recorde na história dos 'Diabos Vermelhos'. Para superar a França, ele ainda conta com a inteligência de De Bruyne e o oportunismo de Lukaku, outros destaques técnicos do time.

Para a semifinal, Martínez não poderá contar com o lateral Thomas Meunier, que recebeu o segundo cartão amarelo. Para sua vaga poderia ser deslocado Nacer Chadli, com o retorno de Yannick Carrasco ao time titular.

Contra um grande ataque, a França vai recorrer a sua força defensiva, fruto da extraordinária capacidade atlética de seus jogadores, sobretudo no meio de campo, com N'Golo Kanté, Paul Pogba e Blaise Matuidi, que deve retornar ao time depois de cumprir uma partida de suspensão nas quartas de final contra o Uruguai.

Os franceses sofreram quatro gols em cinco partidas (três deles na vitória contra a Argentina por 4-3 nas oitavas) e o técnico Didier Deschamps não deve mudar os jogadores da defesa . No entanto, o treinador dos Bleus alertou sobre o perigo belga no contra-ataque: "quando recuperam a bola são muito eficazes".

Também não deve alterar o trio de ataque, pois considera muito importante o trabalho de Olivier Giroud, que permite o brilho de seus dois principais jogadores, Antoine Griezmann e Kylian Mbappé. Os dois países vizinhos se enfrentarão pela 74ª vez na história. Os belgas têm vantagem, com 30 vitórias contra 24 dos franceses e 19 empates. Mas nos dois confrontos disputados em Copas do Mundo(1938 e 1986), os 'Bleus' triunfaram.

Ficha do jogo:
França
Lloris; Pavard, Varane, Umtiti, Hernández; Kanté, Pogba e Matuidi; Mbappé, Griezmann e Giroud. Técnico: Didier Deschamps.

Bélgica
Courtois; Alderweireld, Kompany e Vertonghen; Chadli, Witsel, Fellaini e Ferreira-Carrasco; De Bruyne, Hazard e Lukaku. Técnico: Roberto Martínez (ESP).

Local: Estádio São Petersburgo (São Petersburgo)
Horário: 15h (de Brasília).
Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai).
Assistentes: Nicolas Taran (Uruguai) e Mau Espinosa (Uruguai).
Transmissão TV: Globo, SporTV, Fox Sports.



FOLHAPE


Nenhum comentário

Postar um comentário