Endividamento dos paranaenses recua em junho

Nenhum comentário

Média semestral de famílias endividadas no estado é de 88,8%

© iStock

 POR NOTÍCIAS AO MINUTO


O endividamento dos paranaenses recuou 1,4 ponto percentual de maio para junho. A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), elaborada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), aponta que 89,6% das famílias do Paraná possuíam algum tipo de dívida no mês de junho.

Em maio, esse percentual era de 91%. Na comparação com junho de 2017, que marcava 88,7%, o indicador se mostra praticamente estável. A média semestral de famílias endividadas no estado é de 88,8%.
O Paraná é o estado que concentra o maior percentual de famílias com dívidas, seguido por Roraima (76,3%) e por Santa Catarina (75,7%). A média nacional para o mês de junho ficou em 58,6%.
A parcela de endividados com contas em atraso no Paraná também baixou, passando de 31,9% em maio para 29,4% em junho. Da mesma forma, a falta de condições de quitação das dívidas reduziu de 11,4% para 10,1%.
Apesar de liderar o ranking nacional do endividamento, o estado é o 8º colocado em relação às dívidas atrasadas, enquanto na falta de condições de pagamento ocupa a 14ª posição.
Cabe destacar que o endividamento, por si só, não é um fato negativo, pois significa que o consumidor tem capacidade de crédito e se sente seguro para contrair compromissos financeiros a prazo. O Paraná lidera a criação de empregos formais no país, situação que favorece o consumo, especialmente na modalidade a crédito.
Tipos de dívidas
O cartão de crédito é o principal motivo das dívidas dos consumidores paranaenses, com 73,7%. Nas classes de maior renda ele foi utilizado em 76,8% das compras, enquanto nas famílias com renda até dez salários mínimos esse percentual foi de 73%.
O financiamento imobiliário foi o segundo colocado quando se trata de pagamento parcelado, com 9,7%. Em seguida aparece o crédito para compra de automóveis, com 8,8%.
O endividamento dos paranaenses recuou 1,4 ponto percentual de maio para junho. A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), elaborada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), aponta que 89,6% das famílias do Paraná possuíam algum tipo de dívida no mês de junho.
Em maio, esse percentual era de 91%. Na comparação com junho de 2017, que marcava 88,7%, o indicador se mostra praticamente estável. A média semestral de famílias endividadas no estado é de 88,8%.
O Paraná é o estado que concentra o maior percentual de famílias com dívidas, seguido por Roraima (76,3%) e por Santa Catarina (75,7%). A média nacional para o mês de junho ficou em 58,6%.
A parcela de endividados com contas em atraso no Paraná também baixou, passando de 31,9% em maio para 29,4% em junho. Da mesma forma, a falta de condições de quitação das dívidas reduziu de 11,4% para 10,1%.
Apesar de liderar o ranking nacional do endividamento, o estado é o 8º colocado em relação às dívidas atrasadas, enquanto na falta de condições de pagamento ocupa a 14ª posição.
Cabe destacar que o endividamento, por si só, não é um fato negativo, pois significa que o consumidor tem capacidade de crédito e se sente seguro para contrair compromissos financeiros a prazo. O Paraná lidera a criação de empregos formais no país, situação que favorece o consumo, especialmente na modalidade a crédito.
Tipos de dívidas
O cartão de crédito é o principal motivo das dívidas dos consumidores paranaenses, com 73,7%. Nas classes de maior renda ele foi utilizado em 76,8% das compras, enquanto nas famílias com renda até dez salários mínimos esse percentual foi de 73%.
O financiamento imobiliário foi o segundo colocado quando se trata de pagamento parcelado, com 9,7%. Em seguida aparece o crédito para compra de automóveis, com 8,8%.
Nível de endividamento
A proporção das famílias que se declararam muito endividadas aumentou na variação anual, passando de 22,9% em junho do ano passado para 26,5% em junho de 2018, bem como na variação mensal, quando era de 23,4% em maio.
Tempo de pagamento em atraso
Entre as famílias com contas em atraso, que correspondem a 29,4% dos endividados, 39,2% estão inadimplentes, pois esse adiamento no pagamento é superior a 90 dias. A situação é mais complicada entre as classes C, D e E, nas quais a inadimplência atinge 40,7% dos consumidores. Entre as classes A e B, 32,1% dos endividados estão com o nome passível de ser incluído nos serviços de proteção ao crédito. O tempo médio do atraso no pagamento das dívidas ficou em 58,4 dias no mês de junho.
Tempo de comprometimento com dívidas
A média de tempo de comprometimento com dívidas é de 6,3 meses. A maioria dos paranaenses (48,4%) se mantém endividada por até três meses. Os que ficarão endividados por mais de um ano correspondem a 38,5%.



Nenhum comentário

Postar um comentário