Aliança de Raupp, com quem quiser

Nenhum comentário

Coluna DIRETO DA ALDEIA – por David Casseb


ALIANÇA DE RAUPP, COM QUEM QUISER...
Nesse “viradão paulista” que se transformou a política no Estado, com alianças feitas durante o dia e desfeitas pela madrugada, muita água ainda vai rolar por baixo da ponte do Madeira. Mas algumas situações já estão sendo definidas como prioritárias no cenário. Uma delas é a defenestração do ex-governador Confúcio Moura da chapa majoritária do MDB. O próprio senador Raupp me falou há cerca de um mês, em Brasília, que estava acertando com o senador Ivo Cassol, o apoio deste para o seu nome como “segundo” senador. Parece enrolado, mas não é: Raupp, que precisa se reeleger a qualquer custo, fecha acordos para ser o “segundo” com quem o quiser. Inegavelmente, possui (Raupp) ainda uma liderança dentro do senado e do governo federal, portanto, interessa aos prováveis futuros governadores tê-lo ao lado em um mandato próximo.

DO AFOGADO, O CHAPÉU...
Só que aí a coisa começa a complicar para o lado de Confúcio Moura. O ex-governador que foi um excelente poeta, está sendo colocado de lado pela direção do MDB (Raupp é o presidente regional) e, tudo indica que, se quiser, e tão somente, tem uma vaga para candidato a deputado federal, e olhe lá, já que Mosquini bate os dois pés contra essa ideia, já que perderá votos para o ex patrão. Outra que está horrorizada com essa idéia é Marinha Raupp, que já não anda bem das pernas nessas eleições.

CANDIDATO BASTARDO?
Mas, além disso tudo, tem um problema com essa “aliança” de Raupp com Ivo Cassol: as articulações dão conta de um primeiro nome no chapão para o senado, que é o de Marcos Rogério, do Democratas. Como essa “coligação” não será oficial, o chapão deverá lançar outro nome para o senado, oficialmente. Fica a interrogação de quem será o indicado ou indicada. E como fica o nome de Raupp na questão...dizem até que outro nome da família Cassol está reivindicando a vaga de candidato ao senado. Quem será?

NINGUÉM ME AMA, NINGUÉM ME QUER...
O “menino” Léo Morais está com um problema para resolver. Em virtude de seu favoritismo para uma cadeira de deputado federal, vários partidos estão rejeitando uma coligação com o PODEMOS. Incoerente? Nem tanto...senão vejamos. Léo tem hoje uma capacidade de votos para se eleger deputado federal, porém, nada além disso que possa proporcionar aumento de coeficiente para outros colegas de chapa. Então, quem se aliar a ele, terá a certeza de que perderá uma vaga de federal, e isso não está fácil de ser negociado. Por enquanto o rapaz está correndo solto e sozinho.


ENTREGA SÓ AS RODAS...A CABINE, NÃO.
Eu soube de uma reunião ocorrida na quinta-feira da semana passada entre duas autoridades. A primeira, que chamou a reunião, queria que o segundo entregasse o carrinho de brinquedo para que ele brincasse por um tempo. Em troca, ofereceu uma máquina calculadora para que o segundo fizesse contas e se tornasse mais inteligente com o tempo, sossegado no quintal de casa. Esse segundo, dono temporário do carrinho, disse que faria a troca, mas que entregaria somente as rodas do brinquedo para que o primeiro tentasse montar um carrinho para si. Não houve acordo, pois o primeiro disse ao segundo que sem o volante e a cabine não poderia transportar seus sonhos para o quintal do próximo ano. Acabou por aí a conversa...


Nenhum comentário

Postar um comentário